Hey teacher, leave the kids alone!

Eu estou rouca, minha garganta dói e estou febril. Minha cabeça está parecendo uma bomba relógio. Tem tanta pergunta martelando aqui dentro ainda; umas vem aos berros. Minha vista está embaçada. Tem tanto movimento no ambiente. Pernas e braços passando que já nem consigo distinguir. Risadas, choros… No final de todo dia assim eu me pergunto: por que apesar disso sinto tanto prazer nisso?

Continue reading “Hey teacher, leave the kids alone!”