A construção do hábito de ler no Brasil.

O quanto lemos no Brasil? O quanto temos incentivado a leitura?

[gallery size="full" link="file" ids="4371,4370,4369,4368,4367,4366,4365,4364,4363"]

O quanto lemos no Brasil? O quanto temos incentivado a leitura?

Não importa quão negativa seja a *manchete na revista, nas mídias, no resultado de pesquisas: não desanime. O Brasil tem mudado. As famílias estão mais envolvidas com o processo de letramento das crianças e as escolas tem incentivado mais a leitura sem tortura. Então porque não acreditar que em pouco tempo teremos mudado os números nas estatísticas e consequentemente o perfil de nossa sociedade?

*os links para as manchetes estão em destaque no proprio texto do post. É só clicar.

A impressão que tenho tido é que cada vez que nasce uma criança hoje em dia, nasce também um novo leitor no Brasil. Tenho visto insistentemente crianças sendo expostas a livros desde muito bebês e tenho percebido o esforço de muitos pais e professores para tornarem suas crianças cidadãos letrados.

Bem, é verdade que no Brasil não são todas as famílias que acordaram para a importância do incentivo à leitura desde a infância e na vida adulta. Ainda há muitos analfabetos no Brasil. É possível que a maioria dessas famílias que não despertaram para a importância do letramento desde a infância sejam famílias carentes de muitas outras coisas importantes que vem antes mesmo do letramento, como se alimentar, vestir, sobreviver. Daí o papel importante que tem a escola em EDUCAR. E do Estado de possibilitar meios de acessos gratuitos e de qualidade à educação e aos livros.

O letramento vem com uma educação mais holística. Educar através da leitura. Da visão de outros mundos e de diversas maneiras em diferentes gêneros de leitura para o crescimento de uma sociedade letrada. É possível e deve-se aprender muito mais que ler e escrever com o hábito da leitura. Por isso livros são tão impactantes em uma sociedade que lê. Por isso ler é tão importante. Por isso é tão importante incentivar a leitura e diminuir o preço dos livros por aqui.

Deixo aqui meus parabéns às diversas pessoas e instituições que fazem do incentivo à leitura uma prática diária. Através de seus exemplos, de seus trabalhos e de suas divulgações. Não faltam blogs, páginas e perfis nas mídias sociais de pais, mães e professores comprometidos com essa tarefa de aproximar crianças de livros e mudar a nossa realidade.

Trouxe no corpo do texto algumas manchetes sobre o hábito da leitura no Brasil desde 2000. Vale a pena clicar e ler para ver o que mudou ou a mudança que está em curso.

Animais da fazenda: atividade para alfabetizar e brincar

Alfabetização e letramento não são necessariamente as mesmas coisas, mas são dois lados de uma mesma moeda e respectivamente os primeiros passos para a construção de um cidadão capaz de ler, escrever, interpretar e construir pensamentos críticos.

>>>> O material para download está no final deste post.

Sobre a alfabetização

Alfabetização e letramento não são necessariamente as mesmas coisas, mas são dois lados de uma mesma moeda e respectivamente os primeiros passos para a construção de um cidadão capaz de ler, escrever, interpretar e construir pensamentos críticos.

>>>> O material para download está no final deste post.

Sobre a alfabetização

Desde 0 anos de idade quando somos expostos a livros e a atividades de leitura compartilhada que este saber está em construção, em contextualização. A hora da alfabetização de fato, porém, quando seremos expostos à técnica da escrita através de diferentes métodos, bom , esta hora ainda gera polêmicas. Alguns creem que quanto mais cedo melhor, outros julgam que muito cedo é tirar da criança seus anos de infância.

O ponto de vista da professora e mãe que escreve neste blog é: faça de forma balanceada e sempre lúdica e você não precisará se preocupar com o que dizem todas as outras cabeças pensantes desse mundo. Faça sabendo porquê o faz e como o faz. Do meu ponto de vista, ensinar uma criança a ler e escrever é um ato de amor. Desde que seja feito com afeto, entretenimento e sem grandes cobranças (sem senta pra estudar) nem sobre você e nem sobre a criança. O foco é a rotina leve de aprendizagem e de exposição a todas as habilidades que uma criança precisa para estar pronta para a alfabetização.  Tendo em mente que a alfabetização deve estar na ponta e não no início, mas ela começa desde o início quando se lê para criança.

O material

Por pensar assim que vou compartilhar por aqui alguns (em alguns posts) materiais e atividades que tenho feito para trabalhar à minha maneira a alfabetização de minha filha. Uma maneira nada fácil porque pretendo fazer uma alfabetização bilíngue. Garantia de sucesso eu não tenho, mas tenho tempo e disposição e uma filha que topa tudo. Portanto, por que não? 🙂

Há um método

Sim! Porque sem método não há como ensinar algo a alguém. Assim, escolhi começar por uma adaptação do método fônico, ou seja, não vou ensinar o nome das letras a princípio. Trabalho primeiramente os sons que elas representam. A começar pelas vogais e seus encontros ai, oi, au, eu, ei. Depois virão (já estão vindo porque ela é rápida) as consoantes. O próximo passo são as associações desses sons com imagens e depois em palavras e imagens. Por último as sílabas e consequentemente a escrita. Não é um método em si, mas uma abordagem caseira que usa da união dos variados métodos que já existem e sem pretensão alguma de rigidez escolar. Porém com o mínimo de cuidado e focando sempre na leitura, nos livros como ativadores do letramento e da alfabetização.

Sobre a criança aprender pelo método fônico, Soares (2005) entende como o mais adequado, pedagogicamente e até psicologicamente, é que a criança aprenda simultaneamente todas as competências e habilidades envolvidas na aquisição da língua escrita: aprenda a decodificar e codificar, isto é, aprenda as relações entre os “sons” e as letras ou grafemas, ao mesmo tempo em que aprenda a compreender textos, a construir sentido para os textos, e ainda aprenda as funções da escrita, os diferentes gêneros de textos.

Vamos fazer de 5 em 5. Cinco sons de vogais (com suas variantes), 5 sons de consoantes e variantes…Vamos fazer para brincar e aprender.

Além disso, eu sigo uma tabela de fonoaudiologia que pretende registrar os sons que são inicialmente articulados pelas crianças de 1 até  6 anos. O fonemas, portanto, não seguem a mesma sequência do alfabeto. Começo pelo que ela já produz e só isso.

Estamos trabalhando o português a princípio e logo e do mesmo jeito (corrigindo e adaptando o que puder melhorar) começaremos com o francês (eu preferia – por ser professora de inglês – ensinar inglês, mas temos o francês como prioridade familiar e meu marido topou o desafio).

Garantia de aprendizado

Ela vai aprender? Vai ser bilíngue? Não sei! O tempo dirá. O que eu sei é que muita coisa boa de tudo isso ela vai tirar. E o principal: o tempo junto e de qualidade, com afeto e muita dedicação.

Atividade para baixar e imprimir

Vou disponibilizar aqui um material que achei que ficou digno (esteticamente) de ser compartilhado. Outras coisas do mesmo tipo eu faço a mão mesmo e corto imagens de revistas. Imprimir fica mais limpo e organizado, porém sai mais caro, certamente.

atividade de alfabetização animais da fazenda

  • Atividade: animais da fazenda
  • Objetivo: exposição e repetição de sons representados por vogais e pelas consoantes T V S P C – através de progressão de sequências de sons, imagens, sons e imagens, imagens e palavras, traços e formação de palavras.
  • idade: a partir de 2 anos como brincadeira (para exposição apenas. Implícita) e de 5 anos como estímulo para o reconhecimento de letra e escrita (explícita).
  • Sugestão: criar jogos de memória; com um furador furar o cantinho das imagens para que a criança junte imagens e sons com um clipe plástico; capturar imagem e montar uma apresentação de smartboard; colocar as vocais em um balão (cinco balões; um para cada vogal) e brincar de estourar balão e combinar vogais – o mesmo pode ser feito com as imagens; adesivar na manta magnética para deixar a disposição em quadro magnético ou mesmo na porta da geladeira em casa.

Aqui está! Se gostar e quiser usar, torço para que faça bom proveito. Vamos juntos. Você pode fazer seu material ou achar online algo parecido. OU ainda se desejar pode baixar por R$3,00 na loja do blog. Link direto aqui.