Educado na China?

O que pode estar por detrás dos ótimos resultados de alunos chineses em exames internacionais?

Asian girl with fileA primeira vez que escutei algo sobre educação chinesa foi em 2013 e de lá pra cá sempre aparece um ou outro artigo falando sobre a facilidade com que alunos chineses parecem ter de superarem alunos de outras nacionalidades em exames internacionais.

De 2013 para cá, já houve quem rejeitasse e quem levasse esse assunto a sério. O fato é que não há ainda estudos suficientes que revelem o que está por detrás das tais aprovações- que estatisticamente ainda não são significativas, apenas mostram o que pode ser um diferencial.

O que estaria por detrás dessa possível eficiência do sistema educacional chinês? Alunos de mesma idade e nível escolar, chineses e britânicos consequem resultados bem distantes uns dos outros nos mesmos exames, com destaque para os alunos chineses que segundo consta conseguem resultados até 30% mais altos.

Eu tive um aluno chinês (de pais chineses) nas aulas de TOEFL em Manaus quando travalhava no Icbeu. Era uma época em que muitos jovens universitários estavam se preprarando para passar com boa aprovação nesse exame por conta do programa ciências sem fronteiras. Lembro-me como se fosse hoje aquele jovem adentrando o laboratório com seu pai e muito timidamente dizendo que precisava se preprarar para o exame. No dia seguinte ele apareceu no horário e com as leituras que eu havia deixado no LMS em dia.

Ele era o mais concentrado dos alunos. Fazia tudo no tempo certo e em extremo silêncio. Entrava, fazia os simulados, corrigíamos, ele recebia as leituras no LMS, voltava no dia seguinte e assim foi até que o curso estivesse concluido. Antes de ele ir embora eu pedi para que ele mandasse notícias do exame. Passado um tempo ele volta e me traz o resultado: 120 pontos. Nota máxima! Ele que estava sempre perguntando como estava indo; que queria sempre o mais preciso feedback sobre suas atividades escritas e orais porque se achava fraco; ele passou com nota máxima.

Por que lembrei disso? Porque um dos artigos que lí atribui o sucesso de alunos chineses a pais exigentes. Esse aluno que chegou com seu pai no primeiro dia fez-me logo ver que seu pai não estava alí achando que iria perder tempo. Ele sabia o que queria do filho e o filho sabia o que precisava dar a ele.

 

Além de atribuir o sucesso dos alunos a pais exigentes, algumas pesquisas atribuiram à metodologia usada majoritariamente na China, que seria expositiva e direta no dito ‘Chalk and Talk’. Sem muitos rodeios e até com atividades de memorização como há anos não se quer mais fazer no ocidente que vem seguindo a linha de aulas centradas no aluno e não no professor. Chegou-se inclusive a ponto de se desejar copiar o sistema chines em lugares como UK, por exemplo.

A maioria dos estudos realizados se baseiam em resultados de alunos nas áreas de matemática, mas as atenções se voltam também para o ensino linguístico em escolas bilingues.

Todo esse interesse e investigação na educação chinesa é importante para no mínimo nos fazer rever e reavaliar algumas práticas, além se perder o preconceito com outras. Talvez isso parta de um processo mental mais estruturado e diferenciado por diversos motivos (sitema lógico-linguistico, estrutura da sociedade, expectativa familiar…)

O ‘chalk and talk’ é um método antigo que pode permitir que se dê ao cérebro o tempo que ele precisa para processar informações que não devem e nem podem ser excessiva nesse método o que não é a realidade com o uso constante de novas tecnologias em sala de aula de cursos presenciais. 

Ao escrever, desenhar, graficar no quadro um professor (esse método maltrada o professor em sala mas tira dele o fardo de ter de preparar dezenas de elementos fora classe para serem apresentados e evaporados em segundos frente ao aluno; sobrando tempo para estudo da matéria a ser ensinada), bem, um professor se obriga a seguir uma sequência linear e ao mesmo tempo pontual de explanação.

O que as novas tecnologias nos permitem é fantástico mesmo em termos de velocidade, forma, aspecto visual e diversidade, mas talvez ela também nos ponha numa armadilha que chamo de ‘rolo compressor de informação‘. É possível mostrar e abordar muita coisa ao mesmo tempo e muito rapidamente. Aos alunos sobra o ‘foi muito rápido’ professor ou a impressão de que não se aprendeu nada. Então ele (o aluno) leva aquela zip class pra casa e tenta unzip em seus processos neurológicos-cognitivos; ou não, depende se ele realmente tiver se interessado pelo que viu.

No ‘giz e na conversa’ esse processo se dá ou dava-se ao mesmo tempo e junto com o professor, sobrando a curiosidade epistemológica para seguir em casa, para impor a prática repetitiva. Pelo que parece, as inteligências são multiplas, mas há de se pensar que talvez atingindo uma de uma vez as outras se agitem e entrem autônomas no processo de aprendizagem. Seria muito bom ver mais pesquisas sobre isso.

O que nos sobra é a desconfiança e a vontade de saber mais, de ver mais pesquisas sendo feitas e não só interessadas nos resultados de exames mas nos perfis do alunos (perfis socio-psicológicos) juntamente com a satisfação do trabalhador da educação e o modos operandi da sociedade chinesa e de nossa sociedade; para que não se crie e veicule o que pode ser apenas um mito.

Sobra também a certeza de que o equilíbrio entre essas diversas possibilidades – abordagens, metodologias e tecnicas – é a única garantia que temos por hora de estar fazendo alguma coisa certa.

Veremos!

favicon (1)

5 melhores blogs sobre literatura infantil

Selecionei hoje 5 blogs para quem gosta e se interessa em literatura infantil e quer construir a biblioteca pessoal dos pequenos leitores.

Ler é bom e isso parece que todo mundo sabe; mas escolher um livro infantil nem sempre é fácil. Por isso mesmo há um crescente número de clubes de livros infantis e de blogs que se dedicam a apresentar livros, resenhas e ofertas de livros para crianças. Bons livros não faltam e temos muita gente boa falando de literatura infantil por aí.

Vamos à seleção.

Selecionei hoje 5 blogs para quem gosta e se interessa em literatura infantil e quer construir a biblioteca pessoal dos pequenos leitores.

Ler é bom e isso parece que todo mundo sabe; mas escolher um livro infantil nem sempre é fácil. Por isso mesmo há um crescente número de clubes de livros infantis e de blogs que se dedicam a apresentar livros, resenhas e ofertas de livros para crianças. Bons livros não faltam e temos muita gente boa falando de literatura infantil por aí.

Vamos à seleção.

  1. A Cigarra e a formiga:

    Esse é sem dúvida o melhor deles. A blogueira e jornalista que comanda o blog é simplesmente fantástica em suas indicações. Além de gentil e bem humorada ela é realmente dedicada ao que faz. Ela mantem um canal no youtube que segue a mesma lingua do blog e que tem uma qualidade incrível e apresentação de quem sabe o que está fazendo. Eu mesma já comprei alguns livros indicados por ela.  O grande diferencial dela é que ela e os filhos realmente leem o que compartilham com a gente. Não são livros comerciais apenas, são livros aprovados pelos seus pequenos leitures.

  2. Kids indoors

    O segundo melhor e com muita coisa além de literatura infantil. Esse blog traz muitas novidades em literatura infantil pra quem gosta de ler com os pequenos. A fundadora do blog se chama Gisele. Desde 2008 dando dicas de literatura infantil para pais e professores e pra quem, como nós, ama literatura infantil. Acesse um pouco da nossa história e política de postagens aqui: http://www.kidsindoors.com.br/p/politica-de.html A fundadora informa que postam apenas o que as kids aprovam. Se não gostam do livro, ele não vai pro blog!

    ‘Não fazemos vídeos pois o objetivo é fazer as pessoas lerem, nem que seja uma resenha de livro infantil.’ – Gisele.

    A principio eu havia dito que eram jornalista, mas são artistas plásticas, ilustradoras e escritoras, assistente social e designer. O posto foi comentado pela autora do blog. ;°)

  3. Estante de letrinhas

    Esse blog é bem diferente dos dois primeiros. A proposta é aparentemente mais jornalistica (até porque está dentro do Estadão) e por isso mesmo traz outras oportunidades de pensar o próximo livro.

  4. A Taba

    É um blog empresarial de uma curadoria de livros infantis. Parece com a proposta do Leiturinha (que você já deve conhecer) mas é um pouco diferente. A curadoria do A Taba se compromete mesmo em enviar para você livros que vão fazer diferença na construção de seu pequeno leitor. Para quem não tem lá muita paciência de ir à busca do próximo livro, esse tipo de clube só ajuda. O blog é bem completo também.

  5. Fafá conta

    Por último mas não menos interessante é o blog da Fafá. Ela é atriz e conta histórias que encantam. O trabalho dela vem se revelando um dos melhores na arte de contação de histórias. Há muitas indicações de leituras lá também.

É isso! Quem vai ler pra mim?

//ad.lomadee.com/banners/script.js?sourceId=35949614&dimension=2&height=60&width=468&method=0

E a Amazônia, como vai? + Mini-book Amazônia

Mini-book bilingue AmazôniaMacaco, onça, bicho-preguiça, tamanduás, cobras, araras, boto cor-de-rosa e os povos da floresta. Tudo isso habita nosso imaginário quando pensamos em Amazônia. A dica de hoje são livros que falam sobre animais, indios e nossa floresta para crianças e adultos apreciarem, respeitarem e agirem para sua preservação.

Há uma semana estivesmos em Manaus para matar saudades de amigos e parentes. Como sempre foi ótimo. Encontramos pessoas incríveis. Nossa pequena de 21 meses teve tempo e espaço de sobra para correr com os primos e primas e para ter momentos memoráveis ao ar livre. Além de poder comer da melhor comida regional, a comida da vovó.

A Amazônia é um lugar fantástico de muitas maneiras. Nossa viagem a Manaus não mostrou nem um pingo d’água no rio Amazonas sobre o que é a Amazônia brasileira. Manaus é uma cidade mista de urbanidade e floresta. O povo também se faz assim, uma mistura de gente de fora com gente de dentro, cujos costumes se abraçam e embarassam. Manaus, como toda capital, é só um compacto  cultural e representa pouco, muito pouco do que o Amazônas é na Amazônia.

Mini-book bilingue AmazôniaMacaco, onça, bicho-preguiça, tamanduás, cobras, araras, boto cor-de-rosa e os povos da floresta. Tudo isso habita nosso imaginário quando pensamos em Amazônia. A dica de hoje são livros que falam sobre animais, indios e nossa floresta para crianças e adultos apreciarem, respeitarem e agirem para sua preservação.

Há uma semana estivesmos em Manaus para matar saudades de amigos e parentes. Como sempre foi ótimo. Encontramos pessoas incríveis. Nossa pequena de 21 meses teve tempo e espaço de sobra para correr com os primos e primas e para ter momentos memoráveis ao ar livre. Além de poder comer da melhor comida regional, a comida da vovó.

A Amazônia é um lugar fantástico de muitas maneiras. Nossa viagem a Manaus não mostrou nem um pingo d’água no rio Amazonas sobre o que é a Amazônia brasileira. Manaus é uma cidade mista de urbanidade e floresta. O povo também se faz assim, uma mistura de gente de fora com gente de dentro, cujos costumes se abraçam e embarassam. Manaus, como toda capital, é só um compacto  cultural e representa pouco, muito pouco do que o Amazônas é na Amazônia.

Se viajarmos para o Pará e visitamos Belém, por exemplo, veremos outro tanto de Amazônia compactada entre os prédios e muros da cidade. Muita coisa linda em pequenas amostras. Música, dança, culinária…

A Amazônia é um mundo de coisas. Há a Amazônia brasileira, a venezuelana, a peruana, colombiana… A Amazônia é hoje classificada como uma das 7 maravilhas da natureza do mundo moderno.

Sendo assim, por que esperar o dia do índio para falar de Amazônia? Acho que nossas crianças merecem saber o que precisamos preservar em nosso planeta.

Os livros

Literatura infantilkabé DerebuA sugestão de hoje é a leitura dos livros Um Passeio na Floresta Amazônica e Kabá Darebu. São livros feitos para crianças pequenas (com leitura compartilhada, guiada por um adulto enriquecedor) e para crianças maiores. A leitura é válida e os outores tem vivências bem diferenciadas sobre o que é a Amazônia. Um é americano e outro um indígena brasileiro do Pará. Não é demais?

A ideia

É simples. É sentar junto para uma leitura recheada de curiosidades e descobertas. Explorar texto e imagens e imaginação. Depois disso a ideia é usar massa de modelar e deixar que a criança crie sua pequena floresta. Se for bem pequenina, você pode fazer os animais da floresta com ela enquanto ela vai imitando os sons. Vai ser um curioso passa-tempo. 🙂

Mini-books ou apenas minilivros

 

Esses mini-books estão bem fofos. Como já dito em outros posts os mini-books nada mais são que uma forma de criar leitura rápida e criativa com as crianças.

Seja após a leitura de um livro com tema em comum, seja numa visita a um médico, na espera pela comidinha em um restaurante, numa viagem longa de avião ou trem (como é o nosso caso quase sempre). Os mini-livros sempre ajudam.

Impressão e dobradura

Na hora de imprimir escola paisagem e ajustar para caber. Se fizer em papel mais grosso que o normal, para a dobradura ficar perfeita é preciso fazer um corte entre as páginas de capa e a ultima página que ficam juntinhas.

Então vamos a eles:

 

  1. Amazônia minibook povos da floresta em inglês
  2. Amazônia atividade com Dauphin rose em francês adesivagem
  3. Amazônia atividade com o boto em inglês – adesivagem
  4. Amazonia minilivro do boto-cor-de-rosa português – inglês
  5. Amazonia minilivro sobre o boto cor-de-rosa português-frances
  6. Amazonie minibook português – francês

Espero que gostem. Se usarem de verdade e puderem me enviar fotos ou videos para postar aqui e na nossa página no face eu vou agradecer muito. sue@quemvailerpramim.com

O que já tem por aí

Os mini-books já estão vindo com QR codes para serem acessados pelos pais durante as leituras e interações compartilhadas. É preciso baixar o leitor de código QR gratuito em sua loja no celular, google play, windows, itunes…todos tem.

É isso! Quem vai ler pa mim?

//ws-na.amazon-adsystem.com/widgets/q?ServiceVersion=20070822&OneJS=1&Operation=GetAdHtml&MarketPlace=BR&source=ac&ref=qf_sp_asin_til&ad_type=product_link&tracking_id=suelenviana-20&marketplace=amazon&region=BR&placement=8517215311&asins=8517215311&linkId=d92c9d84a9382498b66132521edd45a4&show_border=true&link_opens_in_new_window=true&price_color=333333&title_color=0066c0&bg_color=fafafa//ws-na.amazon-adsystem.com/widgets/q?ServiceVersion=20070822&OneJS=1&Operation=GetAdHtml&MarketPlace=BR&source=ac&ref=qf_sp_asin_til&ad_type=product_link&tracking_id=suelenviana-20&marketplace=amazon&region=BR&placement=8574120863&asins=8574120863&linkId=777d8773d548b1b6895d441a44960061&show_border=true&link_opens_in_new_window=true&price_color=333333&title_color=0066c0&bg_color=fafafa

Os livros citados estão a venda online na Amazon.br, mas você certamente os encontra aí por perto em alguma livraria. Eu anuncio a Amazon.br porque é com ela que eu consigo algum din-din para investir nesse tempinho editando imagens e elaborando livrinhos pra gente. Um beijo