Month: October 2007

Mas uma vez o português!

Língua, língua, minha língua!

Chamem-na de portuguesa se quiserem,

coloquem-na todas as camisas de força que puderem,

enquanto me houver liberdade,

farei dela entidade,

que sai da boca babando, gritando, chorando, gargalhando

que vai aos textos cantando, pintando, maquiando

Afinal de conta a língua é de quem fala,

danem-se o Estado e os quartéias gramáticais.

Visto nela a camisa que quiser

ponho fé no meu bom gosto.

ainda que isso cause disgosto

Sou linguísta não sou nazista!!

Trocando em miúdos!

Cezar e o antigo império romano: Panis et circensis”! Minha política também é por vezes a da negligência às grandes causas humanas, da obliteração do espírito crítico que parece querer se apoderar de nós depois de um certo tempo de vida e nos escravizar ao eterno contestar. Dou-me de comer e de beber e me garanto diversão e gargalhadas. Alimento-me do pão e me comprometo com o circo. Descobri que Cezar pode ter inaugurado um estilo de vida com sua política oportunista. Coma e divirta-se! Alimento-me do resto que sobra para garantir-me alguma sanidade e força suficiente para sobreviver neste mundo. Faço buracos nas vendas que pus nos olhos para me permitir uma visão mínima das coisas. E ainda assim dizem que levo as coisas muito a sério. Ah se eles soubesse!